Aprendendo a Perdoar

Fico fascinado quando vejo no comportamento da maioria das crianças a rapidez com que elas manifestam perdão. Basta perceber no tempo que elas levam para voltar a brincar umas com as outras logo após uma rusga boba.

Quem dera fôssemos assim, rápidos e simples na resolução de nossas pendências pequenas ou grandes uns com os outros. O problema é que em nossa falta de simplicidade, comprometemos o processo de cura, de perdão, não observando tantas orientações que a Palavra de Deus nos revela.

 

Você se lembra da sua infância? Talvez alguns lances ficaram em sua memória, mas Jesus em sua infinita sabedoria, falou assim:

“Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele" (Mar 10:15).

Se todos juntos, não infantis, mas como crianças, despojássemos dos estereótipos adquiridos e fôssemos mais simples, sim, faríamos toda a diferença na adoração, que exige de nós simplicidade, mãos limpas, corações despojados das raízes de amargura, ira, etc. Somente em unidade poderemos exercer perdão uns para com os outros na obediência aos preceitos do Pai, revelando assim toda a simplicidade que deve fluir de uma nova criatura.

Busque essa simplicidade, viva intensamente como Ele deseja que vivamos: “...perdoando uns aos outros.” (Colossenses. 3:13)

Pr. Kelner Alcântara Queiroz

Mensagens Recentes